Batata com Cachorro

(Por questões jurídicas informamos que nenhum cachorro foi maltratado durante a produção deste site.)

Como eu conheci a sua mãe

Há uns 4 anos atrás eu era viciado em sitcoms. Assistia tudo o que passava na tv. Porém, com o passar do tempo fui me distanciando da tv e ficando exclusivamente na internet, logo parei de assistir essas sitcoms. Na verdade, não apenas sitcoms, mas outras séries de ação e drama também, todas naquele formatinho de 22 à 24 episódios e tal. A última série desse gênero que eu me lembro de ter assistido foi Heroes, que me decepcionou pra caralho a partir da terceira temporada.

Imagem

Peter Petrelli recebendo uma massagem çençual de seu irmão

Tudo mudou quando comecei a assistir Dexter (na história de “Dexter”, vemos Dexter, de “O Laboratório de Dexter”, crescido e sua carreira como cientista não deu certo. Então ele se disfarça de perito da polícia pra matar outros matadores que não deram certo como cientistas), que possuia 12 episódios por temporada e tinha uma pegada mais dramática (recomendação do meu Dad).

Imagem

Dexter na série

Logo em seguida, obtive uma recomendação de meu queridíssimo primo, Fabrício, de uma série sobre um professor com câncer que fabricava dorgas manolo, pra dar dinheiro pra fãmília dele.

Imagem

Logotipo da série

Imagem

Definição do personagem principal

Depois de assistir Quebrando Mal, eu não consegui ver mais nenhuma série (além de Doctor Who). Mas basicamente esse modelo de série com 20 e tantos episódios não funcionava mais pra mim. Até que por uma luz divina, decidi com o controle da minha tv, clicar em How I Met your Mother (Como eu meti na sua mãe em alemão) no Netflix.

Bão, num tô a fim de falar qual é a sinopse da série, porque existe wikipédia pra isso. Só vou dizer que é melhor que friends e vários memes saíram dela como o clássico

Imagem

Fica minha recomendation de série aí prucês. Agora eu vou continuar a editar uns casts aqui e revisar posts do pessoal.

0 comments for “Como eu conheci a sua mãe

  1. duarte
    30/01/2014 at 17:56

    waltão duarte, meu parente

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *